✨Valorizando o Velho Testamento [5 Razões Bíblicas]

Você menospreza o Velho Testamento ou conhece alguém assim? Há muitos cristãos que o desvalorizam ou querem ignorá-lo totalmente, alegando que o Antigo Testamento foi abolido por Jesus.

Aliás, recentemente, compreendi que talvez seja melhor chamar o Primeiro Testamento de Antigo Testamento ao invés de Velho Testamento.

Sabe por quê? Porque apesar de preceder o Novo Testamento no tempo, não é velho no sentido de decadente.

É neste ponto que precisamos chegar: valorizar o Velho Testamento. E eu quero te dar 5 ótimas razões bíblicas para isto.

Valorizando o Velho Testamento [5 Razões Bíblicas]

Valorizar Velho Testamento

Na Bíblia temos 66 livros que formam uma unidade, não podemos dividi-los nos Testamentos dizendo que Antigo ou Novo não deve ser usado. Ora, é a Bíblia!

É claro que precisamos nos atentar a aspectos importantes para ler e entender a Bíblia: pano de fundo, contexto histórico e elementos simbólicos ou proféticos.

Jesus não anulou o Velho Testamento ou a Lei do Antigo Testamento. Ele cumpriu a Lei, removeu aquela e nos deu a Nova Aliança.

Escrevi um estudo explicando isto e a diferença entre Antigo Testamento e Novo Testamento bem como seus significados e você pode ler acessando o link abaixo.

Todos os livros do Velho Testamento apontam para Cristo, que foi profetizado, tipificado, prefigurado, exibido e demonstrado.

No Antigo Testamento, encontramos muitos fundamentos e ensinos aplicáveis à vida cristã.

Verdades bíblicas sobre conhecer e compreender a Deus e seus caminhos, fé, vida piedosa, vida sábia, devoção dinâmica, desenvolver a humildade, vencer o pecado e muito mais.

Você pode aprender algumas destas verdades na série de estudos em que compartilho fundamentos e ensinos que precisamos praticar na caminhada cristã e que encontramos em cada livro da Bíblia.

#1. O Velho Testamento É Fonte de Conhecimento

Você sabia que no Velho Testamento temos uma grandiosa fonte de conhecimento?

Conhecemos as alianças de Deus, apesar de estarmos na Nova Aliança.

Conhecemos nossas origens desde a fundação do mundo: “para que desta geração se peçam contas do sangue dos profetas, derramado desde a fundação do mundo;desde o sangue de Abel até ao de Zacarias” Lucas 11:50-51a.

Conhecemos milagres espetaculares como abertura do Mar Vermelho e do Rio Jordão; cuidado no deserto com colunas de nuvem ou fumaça, águas jorrando de pedras, maná e codornizes caindo do céu; machado que flutua; fogo que desce do céu; azeite que multiplica; livramentos de fornalha e de cova de leões.

Conhecemos histórias de vida emocionantes e edificantes como a história do dilúvio, dos patriarcas (Jó, Abraão, Isaque, Jacó, José), de Moisés e Josué, de Elias e Eliseu, de Samuel, Davi, Daniel, Rute, Ester, Neemias e tantos outros homens e mulheres de Deus.

Conhecemos a dimensão da influência de líderes espirituais e de reis e seus reinados sobre o povo, e as consequências.

Conhecemos sabedoria e poesia que, além de prazerosos para alma, trazem orientação prática e proveitosa para a vida cristã diária.

Conhecemos promessas e profecias que foram fielmente cumpridas ou que ainda serão.

Conhecemos a relação que o abstrato de hoje, realidades espirituais para Igreja, tem com o concreto vivido por Israel no Antigo Testamento.

Conhecemos figuras ou tipos que estão expressos como realidades ou antítipos no Novo Testamento.

Se temos toda esta fonte de conhecimentos, precisamos valorizar o Velho Testamento.

#2. Toda a Escritura É Inspirada Por Deus

Você sabia que toda a Bíblia é inspirada por Deus, incluindo o Velho Testamento?

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra.” 2 Timóteo 3:16-17

A Bíblia não apenas contém, mas é a palavra de Deus. Nós precisamos reverenciar altamente a Palavra de Deus, reconhecendo sua fonte divina de inspiração e nos sujeitando totalmente a ela.

A expressão inspirada por Deus traduz a palavra grega theopneustos, que literalmente significa “tendo assimilado Deus”. A Escritura é a expressão do próprio Deus.

A Bíblia não é resultado da consciência humana elevada ou do intelecto humano iluminado, mas é diretamente “respirada” do próprio Deus.

“porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.” 2 Pedro 1:21

Cada escritor foi movido pelo Espírito Santo, nascido junto ao Espírito Santo.

Assim, apesar de homens de diferentes personalidades e estilos de escrita terem sido usados para escrever cada palavra das Escrituras, estas foram as próprias palavras de Deus.

Entender que toda a Escritura é inspirada por Deus nos ajuda a valorizar o Velho Testamento.

#3. Jesus Pregou o Antigo Testamento

Jesus pregando

Você sabia que os livros do Antigo Testamento serviram de base para a pregação de Jesus?

Foi citando o Antigo Testamento que Jesus venceu a tentação de Satanás: “Está escrito […]” Mateus 4:1-11.

Cristo pregou o Antigo Testamento, usando como base as verdades reveladas da Antiga Aliança. Foi a Bíblia que Jesus usou e dele tirou os mais profundos ensinamentos.

“Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim.” João 5:39

“E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras.” Lucas 24:25-27

“A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos.” Lucas 24:44

A Bíblia de Jesus

Você sabia que o livro de Isaías é chamado a Bíblia de Jesus pois profeticamente é uma miniatura da Bíblia?

A Bíblia tem 66 livros, Isaías tem 66 capítulos.

A primeira seção tem 39 capítulos, lançando luz profeticamente e correspondendo à mensagem sobre o Antigo Testamento.

A segunda seção tem 27 capítulos, tratando de conforto, promessa e salvação, lançando luz e correspondendo à mensagem do Novo testamento.

O Novo Testamento termina mencionando o novo céu e a nova terra, em Apocalipse 21:1.

O mesmo ocorre no finalzinho de Isaías: “Porque, como os novos céus e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante de mim, diz o SENHOR, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome.” Isaías 66:22.

Se até Jesus pregou… precisamos valorizar os livros do Antigo Testamento.

#4. Os Apóstolos e Primeiros Líderes da Igreja Pregaram o Antigo Testamento

Pedro pregando

Você sabia que os livros do Velho Testamento também foram a base da pregação dos apóstolos e primeiros líderes da Igreja?

Pedro pregou seu primeiro sermão com base na revelação de Deus dada na Lei e nos Profetas:

“Naqueles dias, levantou-se Pedro no meio dos irmãos (ora, compunha-se a assembléia de umas cento e vinte pessoas) e disse:

Irmãos, convinha que se cumprisse a Escritura que o Espírito Santo proferiu anteriormente por boca de Davi, acerca de Judas, que foi o guia daqueles que prenderam Jesus, porque ele era contado entre nós e teve parte neste ministério.

Porque está escrito no Livro dos Salmos: Fique deserta a sua morada; e não haja quem nela habite; e: Tome outro o seu encargo.” Atos 1:15-17, 20

A carta aos Hebreus teve como sua base as verdades reveladas aos Patriarcas.

As cartas de Paulo são uma interpretação da Lei e dos profetas.

Se até os apóstolos e primeiros líderes da Igreja pregaram… precisamos valorizar o Velho Testamento.

#5. Não Devemos Ferir a Unidade da Bíblia

Luz da Bíblia

Você sabia que o Velho Testamento e o Novo Testamento formam uma unidade?

O Novo Testamento lança luz sobre o que era sombra no Antigo Testamento. Não há como entender o Novo Testamento sem o Antigo Testamento.

Na Bíblia, aprendemos que aquilo que encontramos no Antigo Testamento “são sombras das coisas futuras” Colossenses 2:16-17.

Aprendemos também que algumas delas “servem de exemplo e sombra das coisas celestiais” Hebreus 8:5 e que “foram-nos feitas em figura” 1 Coríntios 10:6 e que podem ser vistas como “figura do verdadeiro” Hebreus 9:24.

“Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas (…)” Hebreus 10:1a

Os fatos históricos do Antigo Testamento são fragmentos da grande obra da Revelação de Deus.

Como cristãos, nós somos privilegiados pois conhecemos a revelação plena em Cristo: “(…) o mistério que estivera oculto dos séculos e das gerações; agora, todavia, se manifestou aos seus santos; aos quais Deus quis dar a conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória (…)” Colossenses 1:26-27.

Porém, podemos usar a história de Israel para alcançar o conhecimento pleno de Deus.

Se a Bíblia é uma unidade e não fragmentos, precisamos valorizar o Velho Testamento.

Conclusão

Eu espero ter te ajudado, com base bíblica, a não desvalorizar o Antigo Testamento. Vamos revisar estas 5 razões para valorizar o Velho Testamento?

  1. O Antigo Testamento É Fonte de Conhecimento
  2. Toda a Escritura É Inspirada Por Deus
  3. Jesus Pregou o Antigo Testamento
  4. Os Apóstolos e Primeiros Líderes da Igreja Pregaram o Antigo Testamento
  5. Não Devemos Ferir a Unidade da Bíblia

Se você quiser se aprofundar no conhecimento da Palavra de Deus, estes cursos vão te ajudar:

Que o Senhor te abençoe e te guarde! Que Ele te conduza e governe a sua vida! Você tem acesso!

5 (100%) 1 voto

Aprenda em Estudo GRATUITO Como RENOVAR SUA VIDA ESPIRITUAL Com 3 Princípios Bíblicos SIMPLES e PODEROSOS

Geraldo Augusto

Filho de Deus, amigo do Espírito Santo, discípulo de Cristo, marido, pai, servo, pastor, designer, desenvolvedor e empreendedor digital.

Website: http://vocetemacesso.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge