Arca da Aliança, o Sacrifício de Cristo na Cruz e o Devocional

No meu devocional, lendo a orientação de Deus a Moisés para a construção do tabernáculo, registrada em Êxodo, o Senhor me despertou para a importante relação que nosso devocional tem com a Arca da Aliança e com o propiciatório, através do sacrifício de Cristo na cruz.

Não sei se você está tendo dificuldades na sua leitura bíblica, mas há um tempo atrás escrevi um artigo com 3 dicas simples e poderosas para ler e entender a Bíblia que acredito que vai te ajudar.

Nesta reflexão, quero mostrar a importância da Arca da Aliança e do propiciatório para ações em nosso devocional, que eu carinhosamente chamo de TSD, para você conseguir priorizar vida espiritual. Você saberá, por exemplo, sobre:

  • a relação entre Jesus e as 3 portas que os judeus conheciam muito bem
  • a importância e o que representa a arca da aliança para o devocional
  • razões para a madeira de acácia ser escolhida para a construção da arca e a relação com a vida cristã
  • a importância e o que representam as tábuas da lei, a varão de arão e o maná para o devocional
  • uma curiosidade para os dias de hoje sobre o maná (você vai se surpreender)
  • a importância e o que representa o propiciatório para o devocional
  • a função dos querubins sobre o propiciatório
  • a ação sacerdotal na expiação

A Arca da Aliança, o Sacrifício de Cristo na Cruz e o Devocional

A Arca da Aliança, o Sacrifício de Cristo na Cruz e o Devocional

Êxodo 25:10-22
10 Também farão uma arca de madeira de acácia; de dois côvados e meio será o seu comprimento, de um côvado e meio, a largura, e de um côvado e meio, a altura.
11 De ouro puro a cobrirás; por dentro e por fora a cobrirás e farás sobre ela uma bordadura de ouro ao redor.
12 Fundirás para ela quatro argolas de ouro e as porás nos quatro cantos da arca: duas argolas num lado dela e duas argolas noutro lado.
13 Farás também varais de madeira de acácia e os cobrirás de ouro;
14 meterás os varais nas argolas aos lados da arca, para se levar por meio deles a arca.
15 Os varais ficarão nas argolas da arca e não se tirarão dela.
16 E porás na arca o Testemunho, que eu te darei.
17 Farás também um propiciatório de ouro puro; de dois côvados e meio será o seu comprimento, e a largura, de um côvado e meio.
18 Farás dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório;
19 um querubim, na extremidade de uma parte, e o outro, na extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório fareis os querubins nas duas extremidades dele.
20 Os querubins estenderão as asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; estarão eles de faces voltadas uma para a outra, olhando para o propiciatório.
21 Porás o propiciatório em cima da arca; e dentro dela porás o Testemunho, que eu te darei.
22 Ali, virei a ti e, de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins que estão sobre a arca do Testemunho, falarei contigo acerca de tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel.

Quando o povo de Israel era peregrino no deserto, Deus mandou construir uma tenda móvel, o tabernáculo, conforme os detalhes que Ele deu a Moisés. Bezalel e seu assistente Aoliabe foram os responsáveis por esta obra.

O Tabernáculo

Tabernáculo e as 3 Portas: Caminho, Verdade e Vida

O tabernáculo servia para organizar e concentrar o local e a maneira de culto a Deus naquele tempo. Ali, eram realizadas ações de adoração a Deus e consagração dos diferentes tipos de sacrifícios.

O tabernáculo foi usado pelos israelitas da época do deserto até que o rei Salomão construísse um grandioso templo, servindo aos mesmos propósitos do tabernáculo.

O tabernáculo era dividido em 3 áreas:

  • Átrio ou Pátio Exterior – área descoberta e cercada por colunas que por ser ampla e ao livre, era local propício aos sacrifícios, separava o tabernáculo dos alojamentos do povo.
  • Lugar Santo ou Santo Lugar – a parte interna do tabernáculo, onde ficavam a mesa dos pães da proposição, o candelabro de ouro e o altar de incenso, local restrito aos sacerdotes para que prestassem culto.
  • Lugar Santíssimo ou Santo dos Santos – área mais reservada, de acesso apenas ao sumo-sacerdote uma vez ao ano, para consagrar a oferta de expiação.

O Acesso ao Tabernáculo e as Portas Caminho, Verdade e Vida

O acesso ao tabernáculo, que era pelo átrio, era conhecido pelos judeus como Caminho. O acesso ao lugar santo era conhecido pelos judeus como Verdade. O acesso ao Santo dos Santos, pelo véu, era conhecido pelos judeus como Vida.

Por isto, os judeus entendem muito bem a afirmação de Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”, conforme nos diz João 14:6.

Pois bem… a Arca da Aliança e o propiciatório ficavam no Santo dos Santos, que era separado pelo véu e era de acesso anual e exclusivo ao sumo-sacerdote.

Eu te ajudei a entender o contexto da Arca da Aliança e do propiciatório?

Lemos em Êxodo, que Deus mandou Moisés construir um baú, um cofre, para guardar os mandamentos que Ele daria, sendo que a tampa deste baú teria em cima dois querubins.

Outros textos nos mostram que a Arca da Aliança também foi utilizada para guardar a vara de Arão e uma porção de maná.

Mas como é isso? O que isto tem a ver com nosso devocional? Vamos aprender?

Arca da Aliança, Arca do Testemunho

Arca da Aliança - Arca da do Testemunho

A arca da aliança era o símbolo da presença de Deus, o lugar onde ele se encontraria e falaria com Moisés. Nela seria colocado o Testemunho que o Senhor daria.

Salmos 132:1-5
Lembra-te, SENHOR, a favor de Davi, de todas as suas provações; de como jurou ao SENHOR e fez votos ao Poderoso de Jacó: Não entrarei na tenda em que moro, nem subirei ao leito em que repouso, não darei sono aos meus olhos, nem repouso às minhas pálpebras, até que eu encontre lugar para o SENHOR, morada para o Poderoso de Jacó.

O texto de Salmos 132 descreve o desejo de Davi em encontrar um local de repouso para a Arca da Aliança. Ele não iria para casa, para seu quarto, não dormiria e nem fecharia seus olhos enquanto não encontrasse este local.

Davi priorizava encontrar local para a presença de Deus estar, representado pela arca. Deus declara qual era sua escolha para morada, lugar de repouso, habitação.

Salmos 132:13-14
Pois o SENHOR escolheu a Sião, preferiu-a por sua morada: Este é para sempre o lugar do meu repouso; aqui habitarei, pois o preferi.

O escritor aos Hebreus apresenta um forte contraste entre o Judaísmo, retratado como o monte Sinai, e o Cristianismo, representado pelo monte Sião, a Jerusalém celestial.

Hebreus 12:22-24
Mas tendes chegado ao monte Sião e à cidade do Deus vivo, a Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembléia e igreja dos primogênitos arrolados nos céus, e a Deus, o Juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados, e a Jesus, o Mediador da nova aliança, e ao sangue da aspersão que fala coisas superiores ao que fala o próprio Abel.

Em Cristo, você e eu somos morada de Deus. O Senhor desejou habitar dentro de cada um de nós. Aleluia!

1 Coríntios 3:16-17
Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.

Então, assim como Davi, nós precisamos valorizar e priorizar a presença de Deus em nossas vidas. Deus acima de todas as coisas.

Precisamos buscar a presença de Deus, ter tempo a sós com Ele. Meditar na Sua Palavra, ouvir Sua voz. Falar com Ele em oração. Ter tempo de adoração.

A arca da do Testemunho, conhecida também como arca da Aliança, foi feita de madeira da acácia e revestida de ouro puro. Vamos falar um pouco disto?

A Madeira de Acácia e o Revestimento de Ouro Puro na Arca da Aliança

Madeira de Acácia ou Cetim - Talvez usada na cora de espinhos e cruz do sacrifício de Cristo

A madeira de acácia ou cetim foi amplamente usada na construção do tabernáculo. Foi usada para a arca do Testemunho ou arca da aliança, para as varas desta arca e para muitas partes do tabernáculo.

Alguns estudiosos dizem que a madeira de acácia pode ter sido usada na cruz do sacrifício de Cristo e também na coroa de espinhos.

Mas por que usar a acácia? Será que isto tem um significado especial?

A acácia cresce principalmente na península do Sinai, aparecendo também na Palestina. Pode ser encontrada no vale do Jordão e na parte oriental do mar Morto.

Sua haste é dura e espinhosa, produz flores amarelas entre a sua folhagem. É dela que se extrai a goma arábica, a cola.

Importantes Aspectos da Acácia

Quero apontar 3 importantes aspectos da acácia para que ela fosse utilizada na construção de diversas partes do tabernáculo.

1) Sob a ótica geográfica, as acácias seriam um dos poucos tipos de árvores que crescem nas regiões áridas por onde o povo de Israel passou. Ou seja, a acácia era encontrada no deserto.

Consegue enxergar a analogia entre o local em que a acácia se desenvolvia e o local onde muitas vezes somos levados pelo Senhor para aprendermos e crescermos espiritualmente?

2) Sob a ótica da construção, a madeira da acácia é rígida, durável e adaptada a obras de marceneiro. É uma madeira densa, extremamente forte e resistente ao apodrecimento.

Ela é formada em seu miolo por substâncias conservantes que inibem a ação de insetos e tornando a madeira difícil de ser penetrada por água e outros agentes de degradação. Assim, o uso da acácia tornaria as peças resistentes e duradouras por gerações.

Você enxerga analogia entre a resistência da acácia às intempéries e aos insetos, cupins, por exemplo, e como nós firmados em Deus e na Sua Palavra somos resistentes às aflições?

Você não é o que está passando. Isso que você está vivendo vai passar.

Uma madeira dura, com espinhos e cheia de nós que para ser utilizada na construção precisava de um intenso trabalho nela.

Consegue enxergar a analogia com a dureza do nosso coração, os espinhos das nossas atitudes e os nós ou embaraços em que nos envolvemos; e que precisamos ser transformados pelo Espírito Santo?

Somos acácia nas mãos do marceneiro… ou melhor, somos barro nas mãos do oleiro.

3) A madeira de acácia não é nobre, mas é a única madeira que aceita ouro quente por cima porque tem uma camada de resina.

A nossa natureza humana, madeira de acácia, não é nobre. Mas com o revestimento celestial, o ouro, aponta para a união das duas naturezas de Jesus Cristo: humana e divina.

Assim como a Acácia, podemos não ser nobres, mas nosso valor se deve ao revestimento de ouro puro, ao revestimento de Deus em nós.

O propósito da arca, como um baú, era para guardar o Testemunho. Mas o que seria o Testemunho? O que havia dentro da arca da aliança?

Resposta: as tábuas da lei, a vara de Arão e o pote com Maná. Vamos ver?

As Tábuas da Lei, a Vara de Arão e o Pote com Maná

Testemunho: Tábuas da Lei, Vara de Arão e Pote com Maná

Hebreus 9
2 Com efeito, foi preparado o tabernáculo, cuja parte anterior, onde estavam o candeeiro, e a mesa, e a exposição dos pães, se chama o Santo Lugar;
3 por trás do segundo véu, se encontrava o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos,
4 ao qual pertencia um altar de ouro para o incenso e a arca da aliança totalmente coberta de ouro, na qual estava uma urna de ouro contendo o maná, o bordão de Arão, que floresceu, e as tábuas da aliança;
5 e sobre ela, os querubins de glória, que, com a sua sombra, cobriam o propiciatório. Dessas coisas, todavia, não falaremos, agora, pormenorizadamente.

Dentro da aliança, foram colocados 3 elementos: as tábuas da aliança, o bordão de Arão e a urna de ouro com maná. Por isso, chamada de arca do Testemunho. Vamos ver um pouco sobre cada um destes elementos?

As Tábuas da Lei

Moisés e as Novas Tábuas da Lei - Os Dez Mandamentos

Em 2015, a teledramaturgia brasileira retratou em Os Dez Mandamentos sobre as tábuas da lei.

As tábuas da lei também conhecidas como tábuas da aliança ou ainda tábuas do testemunho foram preparadas por Moisés para que o próprio Senhor escrevesse os 10 mandamentos que Ele havia declarado anteriormente e que lemos o registro em Êxodo 20.

“E, tendo acabado de falar com ele no monte Sinai, deu a Moisés as duas tábuas do Testemunho, tábuas de pedra, escritas pelo dedo de Deus.” Êxodo 31:18

Posteriormente, os mandamentos precisarem ser reescritos em novas tábuas porque, ao descer do monte, Moisés havia se irado com a adoração do povo ao bezerro de ouro e acabou quebrando as primeiras tábuas.

Deuteronômio 10
1 Naquele tempo, me disse o SENHOR: Lavra duas tábuas de pedra, como as primeiras, e sobe a mim ao monte, e faze uma arca de madeira.
2 Escreverei nas duas tábuas as palavras que estavam nas primeiras que quebraste, e as porás na arca.
3 Assim, fiz uma arca de madeira de acácia, lavrei duas tábuas de pedra, como as primeiras, e subi ao monte com as duas tábuas na mão.
4 Então, escreveu o SENHOR nas tábuas, segundo a primeira escritura, os dez mandamentos que ele vos falara no dia da congregação, no monte, no meio do fogo; e o SENHOR mas deu a mim.
5 Virei-me, e desci do monte, e pus as tábuas na arca que eu fizera; e ali estão, como o SENHOR me ordenou.

Os dez mandamentos eram leis que ensinavam e orientavam como os hebreus deveriam se relacionar entre eles e também como adorar ao único Deus verdadeiro.

Foram mandamentos que vieram diretamente de Deus para Moisés e eram a base da aliança entre Deus e seu povo. Por isso, as tábuas da lei foram colocadas dentro da arca.

Uma Nova Aliança e a Palavra de deus

Conhecedor da limitação humana em seguir a lei, Deus avisa que estabeleceria uma nova aliança com o povo onde as leis seriam impressas na mente e inscritas no coração, sendo assim o seu Deus e o povo sua propriedade.

Meu… enquanto escrevo isto, sinto uma presença tão gostosa de Deus. Aleluia!

Jeremias 31
31 Eis aí vêm dias, diz o SENHOR, em que firmarei nova aliança com a casa de Israel e com a casa de Judá.
32 Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porquanto eles anularam a minha aliança, não obstante eu os haver desposado, diz o SENHOR.
33 Porque esta é a aliança que firmarei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o SENHOR: Na mente, lhes imprimirei as minhas leis, também no coração lhas inscreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

Jesus diz que veio para cumprir os mandamentos. Foi quando se estabeleceu uma nova aliança entre Deus e seu povo, pelo relacionamento com Cristo.

A lei é a Palavra de Deus. Quando alguém entrega sua vida a Cristo, precisa começar a busca pelo conhecimento da Palavra de Deus.

Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração.” Colossenses 3:16

A Nova Aliança veio pelo sacrifício de Jesus e por Ele ser a Palavra de Deus, o Verbo, o Senhor é nosso Deus e somos seu povo porque Ele mesmo escreveu nas nossas mentes e nos nossos corações a Sua Palavra.

Aleluia! Aleluia! Aleluia! Oh! Glória!

Percebeu o poder da leitura bíblica??? Enxerga a importância de ler a Bíblia Sagrada e como as tábuas da lei dentro da arca se relacionam com o devocional?

Se você valorizar a Palavra de Deus, sua comunhão com Deus aumentará e sua vida espiritual crescerá.

Está gostando do artigo? Então cadastre seu e-mail abaixo para se juntar a vários leitores abençoados do Você Tem Acesso e ser o primeiro a receber novos conteúdos, aprender como ler a Bíblia e crescer espiritualmente.

Aprenda em Estudo GRATUITO Como RENOVAR SUA VIDA ESPIRITUAL Com 3 Princípios Bíblicos SIMPLES e PODEROSOS

A Vara de Arão

Moisés entrega vara de Arão que floresceu

A vara de Arão era um pedaço de madeira, galho da amendoeira, que possivelmente era usado para tocar o rebanho.

Certa vez, o povo rebelde que questionava a legitimidade do sacerdócio de Arão. Deus então prepara algo sobrenatural.

Números 17
1 Disse o SENHOR a Moisés:
2 Fala aos filhos de Israel e recebe deles bordões, um pela casa de cada pai de todos os seus príncipes, segundo as casas de seus pais, isto é, doze bordões; escreve o nome de cada um sobre o seu bordão.
3 Porém o nome de Arão escreverás sobre o bordão de Levi; porque cada cabeça da casa de seus pais terá um bordão.
4 E os porás na tenda da congregação, perante o Testemunho, onde eu vos encontrarei.
5 O bordão do homem que eu escolher, esse florescerá; assim, farei cessar de sobre mim as murmurações que os filhos de Israel proferem contra vós.
6 Falou, pois, Moisés aos filhos de Israel, e todos os seus príncipes lhe deram bordões; cada um lhe deu um, segundo as casas de seus pais: doze bordões; e, entre eles, o bordão de Arão.
7 Moisés pôs estes bordões perante o SENHOR, na tenda do Testemunho.
8 No dia seguinte, Moisés entrou na tenda do Testemunho, e eis que o bordão de Arão, pela casa de Levi, brotara, e, tendo inchado os gomos, produzira flores, e dava amêndoas.
9 Então, Moisés trouxe todos os bordões de diante do SENHOR a todos os filhos de Israel; e eles o viram, e tomou cada um o seu bordão.
10 Disse o SENHOR a Moisés: Torna a pôr o bordão de Arão perante o Testemunho, para que se guarde por sinal para filhos rebeldes; assim farás acabar as suas murmurações contra mim, para que não morram.

Daquela madeira seca e velha saíram brotos, a vara floresceu e frutificou amêndoas maduras em uma única noite, como sinal da escolha de Deus por Arão para o sacerdócio.

A vara então foi colocada dentro da arca da aliança como sinal ao povo rebelde.

O Poder de Deus e a Ação do Espírito Santo

Enxerga como o poder de Deus e a ação do Espírito Santo trazem ressurreição e realizam maravilhas? Aleluia!

Às vezes, pensamos que a madeira está velha e seca, que já é tarde. Mas “peraí”…!

Entregue sua vida a Cristo, tenha sempre seu devocional, cresça na Palavra de Deus, busque a Deus em oração, adore-o e seja cheio do Espírito Santo!

Lembra de Bezalel que falei lá em cima? Para a construção do tabernáculo, dos utensílios, inclusive a arca da aliança, o Senhor o chamou pelo nome e o encheu do Seu Espírito.

“Eis que chamei pelo nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício” Êxodo 31:2-3

Deus te chama pelo nome, mesmo que você não o conheça, sabia?

Ciro era o rei de uma poderosa nação pagã que havia escravizado o povo de Israel. Um rei que não havia recebido a transmissão de cultura sobre um único Deus.

Cerca de quase dois séculos antes do nascimento de Ciro, o Senhor o chama pelo nome através do profeta Isaías. Isso é demais!

Isaías 45
1 Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão.
2 Eu irei adiante de ti, endireitarei os caminhos tortuosos, quebrarei as portas de bronze e despedaçarei as trancas de ferro;
3 dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas encobertas, para que saibas que eu sou o SENHOR, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome.
4 Por amor do meu servo Jacó e de Israel, meu escolhido, eu te chamei pelo teu nome e te pus o sobrenome, ainda que não me conheces.
5 Eu sou o SENHOR, e não há outro; além de mim não há Deus; eu te cingirei, ainda que não me conheces.

Deus conhecia Ciro, me conhece, conhece você, conhece a todos individualmente.

Que Deus é esse que mesmo que ainda não o conheçamos nos conhece profundamente e nos chama pelo nome?

Bezalel foi chamado pelo nome e também pelo sobrenome, o nome de sua família, de sua ascendência. Deus é muito específico!

Mas sabe para que o Senhor o chamou pelo nome? Para o encher do Espírito de Deus!

“Não apagueis o Espírito”, 1 Tessalonicenses 5:19, mas seja cheio do Espírito Santo de Deus! Sabe como?

“E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.” Efésios 5:18-21

Seja cheio do Espírito Santo, fugindo dos desejos carnais.

Seja cheio do Espírito Santo, louvando e adorando a Deus de coração.

Seja cheio do Espírito Santo, sendo grato a Deus.

Seja cheio do Espírito Santo, sujeitando-se ao próximo no temor de Cristo.

Notou a relação entre a vara de Arão que floresceu e frutificou com a vida devocional?

O Pote com Maná

Povo recolhe maná que desceu do céu

O maná foi o alimento que Deus enviou para o povo no deserto que o chamava de “pão do céu”. Era uma prova da provisão e do sustento de Deus.

A urna de ouro contendo o maná serviu para relembrar o povo da providência de Deus durante a peregrinação no deserto.

Êxodo 16
32 Disse Moisés: Esta é a palavra que o SENHOR ordenou: Dele encherás um gômer e o guardarás para as vossas gerações, para que vejam o pão com que vos sustentei no deserto, quando vos tirei do Egito.
33 Disse também Moisés a Arão: Toma um vaso, mete nele um gômer cheio de maná e coloca-o diante do SENHOR, para guardar-se às vossas gerações.
34 Como o SENHOR ordenara a Moisés, assim Arão o colocou diante do Testemunho para o guardar.
35 E comeram os filhos de Israel maná quarenta anos, até que entraram em terra habitada; comeram maná até que chegaram aos limites da terra de Canaã.

O Senhor Jesus se compara ao maná.

João 6
47 Em verdade, em verdade vos digo: quem crê em mim tem a vida eterna.
48 Eu sou o pão da vida.
49 Vossos pais comeram o maná no deserto e morreram.
50 Este é o pão que desce do céu, para que todo o que dele comer não pereça.
51 Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne.

Nossa vida com Deus não existe se não for através de Jesus Cristo. Assim como o maná sustentou o povo no deserto, Jesus é o sustento para as nossas almas.

Sabe aquele vazio? Só em Jesus somos preenchidos. Só em Jesus temos vida eterna.

Durante 40 anos, o povo precisava retirar o maná a cada dia, para mostrar obediência a Deus, de manhã cedo para o sol não derreter o maná, não guardar de um dia para outro para não estragar, recolher o dobro no sexto dia para não faltar no dia seguinte.

Vendo esta disciplina do povo para se alimentar do maná, entendo que nossa vida espiritual precisa também de disciplina.

O Maná Ainda Cai do Céu?

Lendo estes dias sobre o maná, eu me lembrei de um relato que soube há alguns anos sobre ainda cair maná.

Mas será mesmo que o maná ainda cai do céu? Confira o vídeo abaixo.

Um pastor conta neste vídeo publicado no final de 2013 que, durante um ano em que trabalhou como voluntário na África, soube de uma região do país onde haviam relatos de que o maná descrito pela Bíblia ainda caía no campo.

O Propiciatório

Propiciatório

O propiciatório era a “tampa” da arca da aliança. Era feito de ouro puro, representando a natureza divina. Ele era o símbolo do trono de Deus, protegido por querubins.

Dá ouvidos, ó pastor de Israel, tu que conduzes a José como um rebanho; tu que estás entronizado acima dos querubins, mostra o teu esplendor. Salmos 80:1

Trono representa autoridade. Quem se assenta sobre o trono é quem governa, quem é senhor.

Para nosso devocional, o propiciatório significa entregar a Deus o controle e o governo completo em nossas vidas. Ele é o Senhor!

Isaías 6
1 No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo.
2 Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava.
3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

Isaías teve uma visão maravilhosa deste trono, alto e sublime. Viu também que ali, serafins adoravam a Deus.

Trazendo para nosso devocional, o propiciatório é o local de entronizarmos ao Senhor. É local de louvor e adoração, é o ambiente de Deus.

No Dia da Expiação, o sumo sacerdote aspergia sobre e diante do propiciatório.

Já sei… lá vem a pergunta: “Mas… Geraldo Augusto… o que é expiação e o que tem a ver comigo?”.

Ok… vou buscar te explicar o que era esta ação e qual o significado para nosso devocional e para nossas vidas. Vamos lá?

A Expiação e o Propiciatório

A Expiação e o Propiciatório

Expiação significa o perdão de Deus aos pecados do pecador arrependido, levando-o a reconciliação com o Senhor.

Mas… esta reconciliação precisa do sacrifício de alguém com sua vida, com sangue, em substituição ao pecador arrependido.

No sangue está a vida e ele tem o poder de transformar o físico em espiritual, o natural em sobrenatural.

Levítico 16
14 Tomará do sangue do novilho e, com o dedo, o aspergirá sobre a frente do propiciatório; e, diante do propiciatório, aspergirá sete vezes do sangue, com o dedo.
15 Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele.
16 Assim, fará expiação pelo santuário por causa das impurezas dos filhos de Israel, e das suas transgressões, e de todos os seus pecados. Da mesma sorte, fará pela tenda da congregação, que está com eles no meio das suas impurezas.

No Antigo Testamento, esta substituição era feita por animais que eram sacrificados, que morriam no lugar do pecador arrependido. Essa condição espiritual era cumprida, Deus aceitava o sacrifício e perdoava o pecador.

Primeiro, o sacerdote oferecia um novilho em sacrifício pelo pecado dele e de sua família. Depois, eram tomados dois bodes, sendo que um deles era enviado para o deserto como expiação, com a intenção de levar o pecado do povo.

O outro bode era sacrificado, e seu sangue aspergido sobre o propiciatório e diante do propiciatório, pelo pecado do povo.

Já ouviu a expressão “bode expiatório”? Está relacionada a este conceito.

Estas ações espirituais aconteciam uma vez por ano, no Dia da Expiação, quando o sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos para a expiação. Os judeus celebram até hoje o “Yom Kippur”, o Dia do Perdão, o Dia da Expiação.

Conta a tradição que essa aspersão era feita na forma de uma cruz, apontando diretamente para a expiação dos nossos pecados, através do sacrifício de Jesus na Cruz do Calvário.

Expiação feita por Deus pelo seu povo. E é aqui que quero chegar!

O Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário

Quando Deus enviou Jesus Cristo, o “Cordeiro de Deus”, a expiação ficou um pouco diferente. Jesus é o nosso substituto. Nós é que deveríamos morrer como pena por nossos pecados. Mas Ele, que era inocente, assumiu o nosso lugar.

Hebreus 9
23 Era necessário, portanto, que as figuras das coisas que se acham nos céus se purificassem com tais sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais, com sacrifícios a eles superiores.
24 Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus;
25 nem ainda para se oferecer a si mesmo muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no Santo dos Santos com sangue alheio.
26 Ora, neste caso, seria necessário que ele tivesse sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; agora, porém, ao se cumprirem os tempos, se manifestou uma vez por todas, para aniquilar, pelo sacrifício de si mesmo, o pecado.
27 E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo,
28 assim também Cristo, tendo-se oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o aguardam para a salvação.

Jesus de uma única vez foi o sacrifício e Ele mesmo o perfeito sumo sacerdote.

Jesus deu a sua vida, Ele se entregou como sacrifício vivo por nós, pagou o preço de sangue por nossos pecados, fazendo expiação pelos nossos pecados, para nos reconciliar com Deus e termos os nossos pecados perdoados.

Em Êxodo, lemos que o sangue era aspergido sobre o propiciatório e diante do propiciatório e que, segundo a tradição, era em forma de cruz. Com isto, eu enxergo duas verdades espirituais que precisamos crer:

  • A primeira é que o sangue de Jesus está sobre aquilo que entronizarmos a Deus, colocando-o como Senhor.
  • A segunda é que o sangue de Jesus vai à frente daquilo que entronizarmos a Deus, colocando-o como Senhor.

Eu não sei para você, mas para mim isto é muito forte!

A Bíblia fala que sobre o propiciatório estariam dois querubins, também de ouro, representando a natureza celestial.

Temos alguma coisa a aprender com isto? Sim, claro! Já vou te explicar.

Os Querubins e o Propiciatório

Lemos que cada querubim estaria numa extremidade, um de frente para o outro, com as asas estendidas cobrindo o propiciatório e olhando para baixo.

Os querubins eram seres angelicas associados com a guarda e sustento do trono de Deus. Estavam ligados ao culto ao Deus Todo-Poderoso.

Querubins, keruvim, plural de keruv (ligado ao verbo abençoar, louvar, adorar). Vistos dos tempos de Adão a Ezequiel, são mencionados 90 vezes no Antigo Testamento, em Gênesis, Êxodo, Números, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Salmos, Isaías e, especialmente, Ezequiel em mais de 30 vezes.

O querubim tem sua função comumente entendida como o anjo que cobre, que guarda.

“Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas.” Ezequiel 28:14

Lembra de alguém que foi coberto e guardado por dois anjos que fitavam um ao outro, quando o seu corpo repousava tranquilamente na morte?

“Maria, entretanto, permanecia junto à entrada do túmulo, chorando. Enquanto chorava, abaixou-se, e olhou para dentro do túmulo, e viu dois anjos vestidos de branco, sentados onde o corpo de Jesus fora posto, um à cabeceira e outro aos pés.” João 20:11-12

Ele mesmo! Ele, Ele, Ele, Ele, Ele… Sempre Ele, o Senhor Jesus!

“Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” Romanos 11:36

Conclusão

Tudo isto que te falei acima, na relação do devocional com a arca da aliança e o sacrifício de Cristo na cruz do calvário, está representado nos 3 versículos abaixo.

Hebreus 4
14 Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossa confissão.
15 Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado.
16 Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

No devocional, devemos entrar na presença de Deus (a arca da aliança) que preserva a leitura bíblica em nós (Testemunho dentro da arca da aliança), achegando pela adoração, com confiança, junto ao trono de Deus (propiciatório).

Temos este acesso, pelo sacrifício (representado pela aspersão sobre o propiciatório) de Jesus, o eterno sumo sacerdote, que nos deu acesso ao Pai (porque o véu foi rasgado nos dando acesso ao Santo dos Santos).

Então, receberemos as instruções do Senhor para o dia-a-dia, para que tenhamos autoridade sobre as áreas da vida (ordenar aos filhos de Israel), com o sangue de Jesus sendo a cobertura e estando à frente das nossas atitudes e ações.

E aí, conseguiu enxergar a importante relação da arca da aliança e do propiciatório com o nosso devocional?

Que o Senhor te abençoe e te guarde! Que Ele te conduza e governe sua vida! Você tem acesso!

5 (100%) 1 voto

Aprenda em Estudo GRATUITO Como RENOVAR SUA VIDA ESPIRITUAL Com 3 Princípios Bíblicos SIMPLES e PODEROSOS

Geraldo Augusto

Filho de Deus, amigo do Espírito Santo, discípulo de Cristo, marido, pai, servo, pastor, designer, desenvolvedor e empreendedor digital.

Website: http://vocetemacesso.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CommentLuv badge